Sem Roteiro: Era uma vez...


Uma Cinderela que não perde o sapatinho a meia noite, que, na verdade,  é um ciborgue. A Chapeuzinho Vermelho que defende sua vila contra o ataque de lobos sedentos. A Branca de Neve que em vez de limpar a casa de sete anões, vai à luta numa guerra contra a rainha malvada. E que tal os irmãos João e Maria se tornando caçadores de bruxas? As histórias simples dos contos de fadas com finais recheados de "felizes para sempre" ganharam continuamente novas versões desde suas criações, mas será que você conhece a fundo como tais história surgiram? 


Se você já ouviu o ditado "Quem conta um conto aumenta um ponto" deve perceber muito bem como as histórias podem sofrer várias alterações conforme são relatadas.  Os contos da Disney são grande exemplo disso. A querida Branca de Neve não foi originalmente beijada pelo príncipe para despertar. Depois de comer a maçã envenenada oferecida pela bruxa a jovem caiu dura no chão e os anões, muito sucintos, a colocam dentro de uma cripta. O príncipe então, passa, a vê e pede para que o deixem levá-la dali, mas não tem beijo nenhum nem felizes para sempre. A verdade é que um dos servos do jovem bonitão deixa a cripta cair no chão com a bela, fazendo a maçã envenenada ser regurgitada. Maluco, não é? E as crianças sempre acreditam  que existe um rapaz lindo que salva a donzela à beira morte.

A pobre da Bela Adormecida também teve uma história trágica digna de uma protagonista de novela mexicana. Depois de ser amaldiçoada com a farpa e dormir profundamente, a jovem é violentada pelo príncipe e engravida de gêmeos. Depois do nascimentos do seus filhos, com ela ainda em sono profundo, um deles chupa seu dedo pensando ser o bico do seio a fim de mamar, arrancando assim a farpa e despertando a própria mãe. Obviamente que uma história com um teor desses não poderia ser contada por uma mãe para seu filho. Imaginem só a reação da criança ao imaginar isso antes de dormir? Para isso foram recriadas as versões mais lights dos contos. 

A história da Ariel é linda também, mas só na visão da Disney. Depois de se apaixonar pelo príncipe, ela realmente ganhou pernas e perde a voz, mas o final é totalmente triste. O jovem pode até ter a amado, mas somente como uma irmã, e a regra dada pela bruxa era clara: ou se casa com o príncipe ou você se tornará uma esponja do mar. Um casamento foi arranjado para ele com uma princesa de outro reino, não com a ex-sereia. Suas irmãs foram ao encontro da bruxa malvada e doaram seus cabelos em troca de uma adaga que seria cravada no coração do amado de Ariel para que ela tivesse sua voz e calda de volta e voltasse a viver no fundo do mar. Mas a garota não teve coragem de realizar tal ato e acabou transformada em uma esponja do mar, como previa a maldição.

Deixando um pouco de lado a visão dos contos de fadas originais e partindo para a atualidade, o cenário encontrado é uma gama enorme de adaptações, tanto literárias quanto cinematográficas. Nelas encontram-se aqueles velhos personagens já conhecidos, mas com suas histórias um tanto distintas do seu conceito inicial.  




Hollywood vem tendo grandes adaptações de contos de fadas em cartaz. Branca de Neve e o Caçador estreou em 2012 e nele a princesa não foi tão frágil como de costume. Charlize Theron estava na pele da rainha malvada, enquanto Kristen Stewart (ironicamente) era Branca de Neve, a mais bonita do reino. No filme existe uma grande guerra, o que não há nem de longe no conto original. Em Enrolados, animação feita pela Disney, Rapunzel tem um cabelo longo, mas, além disso, ele é encantado e objeto de desejo de uma bruxa que quer obter a vida eterna. Em 2011, Chapeuzinho Vermelho foi vivida por Amanda Seyfried, em A Garota da Capa Vermelha. A diferença está presente tanto no enredo quando na personagem, que ganhou um lado mais sombrio e sensual. 2013 ainda reserva mais adaptações baseadas em contos de fadas.

Muitos já sabem, mas vale a pena ressaltar que os contos foram adaptados pelos Irmãos Grimm, quando na verdade eles já tinham sido escritos muitos anos antes. A maioria das histórias têm origem europeia e sofreram adaptações pelos irmãos e re-adaptações pela Disney. A Cinderela, por exemplo, teve sua história originaria na China, que assim inspirou Charles Perrault (responsável por outras adaptações), os Irmãos Grimm e outros. No final do conto a Cinderela se casa mesmo com o príncipe, mas suas irmãs e madrasta têm os olhos arrancados e comidos por corvos. 


Tais histórias são fontes inesgotáveis de criação, já que mesmo depois de dois séculos de suas origens (a maioria surgiu em 1800) existem novas versões sobre as mesmas. Na literatura também surgiram tramas inspiradas nos contos. Cinder, lançado pela editora Rocco, faz alusão à Cinderela em sua versão moderna, na qual a moça é um ciborgue e precisa ajudar o príncipe. À esquerda uma foto da protagonista com suas partes robóticas. A sequência, Scarlet,  terá como pano de fundo a trama da Chapeuzinho Vermelho. Em Os Desejos de Bela Adormecida, Anna Rice deu uma pitada um tanto sensual para o conto, porque além de dormir por 100 anos a princesa também se torna escrava sexual. 

Seja em nesse século ou nos anteriores, os contos sempre serão presentes na vida de todos. A Branca de Neve pode ter sido beijada ou caído no chão; Ariel pode ter sido feliz com o príncipe encantado, na versão Disney, ou virado mesmo uma esponja do mar; enquanto Chapeuzinho Vermelho pode ter sido comida pelo lobo, como sua vó, ou até ser uma personagem de videogame chamada Baby Bonnie Hood (foto abaixo) que usa metralhadoras e facas para derrotar seus inimigos. O importante é a proporção de magia e prazer que essas histórias são capazes de proporcionar em pessoas de todas as idades.




Esse foi a postagem que eu mais senti prazer em pesquisar. Foram necessárias algumas horas, mas o resultado está gratificante. Contos de Fadas fizeram parte da minha infância e continuam até hoje presentes. Não sabia muito sobre as verdadeiras histórias, somente o que me contaram. Espero que vocês tenham gostado de ler na mesma proporção que eu gostei de fazer. As fontes foram inúmeras, mas vou destacar o site do Omelete, sobre os filmes, o blog Mistérios Fantásticos, e a Flávia Penido, Livros e Chocolate, pela ajudinha sobre a história da Cinder. E um abraço apertado e um beijo nas minhas revisoras preferidas, Naiane e Izabela Fernandes :) É isso. Até mais.

31 comentários:

  1. Tem coisa mais gostosa do que ler uma postagem dessas feita com tanto esmero e carinho? Ficou ótimo, com as versões mais fiéis que eu encontrei nos últimos tempos. Confesso que tenho uma queda pelo da Ariel (não perdoo minha mãe até hoje por ter doado A Sereiazinha, do Andersen¬¬).
    Nas versões atuais, eu sou louca pelas releituras que o Raphael Draccon fez em Dragões de Éter. Se você ainda não leu a triologia, eu super-indico!
    Beeijo
    http://estoriasdacarter.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Espero que goste de ler "O Sonho de Eva". Assim que o ler, conte-me o que achou.
    ADOREI esta postagem. Já tinha lido algo parecido, mas não tão profundo assim. Mas confesso que os contos "reais" são bem macabros, não é mesmo, rs!

    Beijinhos, Lu
    http://luizando.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Eu sou super fã dos Sem roteiro! E esse texto está lindo!
    Uma Revisora dando oi o/ hahaha

    Adorei saber algumas das histórias originais e ver o contraste entre elas com as contemporâneas e as versões softs da Disney.
    Nós também não podemos nos esquecer das versões animadas dos clássicos: Deu a Louca na Chapeuzinho é um ótimo exemplo pro que você acabou de nos contar.

    Fora que os contos de fadas são ótimas histórias, não importa com que idade estejamos mesmo! Mas uma coisa é certa, todos nós merecemos nosso: Felizes para sempre...

    ResponderExcluir
  4. Eu conhecia algumas dessas versões outras não, e fiquei tipo: O_O, para da Bela Adormecida.

    Eu acho bem legal está sendo criada tantas versões da mesma história. Porque apesar disso fazer a original se perder, dá uma forma inovadora de manter essas histórias sempre em nossas vidas.

    Quando pequena meu conto favorito sempre foi a Branca de Neve (minha tia até me chamava assim por causa da minha pele clara, meus cabelos muito escuros, e pelo fato de eu gostar tanto). Mas hoje em dia não existe nostalgia suficiente para me fazer assistir o filme que eu via. Mas em vez posso ver Branca de Neve -semexpressão- e o Caçador, ou então ver a série Once Upon a Time que muda todos esses contos. É uma forma de sempre manter um pedacinho da nossa infância conosco, de formas diferentes, mas sempre acaba nos fazendo lembrar saudosos da primeira versão que conhecemos.

    Té mais...
    http://bmelo42.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Eu já tinha ouvido falar que esse negócio de "felizes para sempre" só existia mesmo nas versões da Disney. Adoreeei o post! :D

    Beijos, Entre Aspas

    ResponderExcluir
  6. Lucas, parabéns pela postagem. Realmente é umas das melhores que li nos últimos tempos. Valeu o seu esforço. Vou até compartilhar no face. Quanto ao assunto, já conhecia a da Branca de neve e a da Bela adormecida sabia a metade, a parte do bebê chupar o dedo eu não sabia. Mas prefiro continuar acreditando que elas são toas lindas hehehehehe

    http://blogprefacio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. NÃO CURTI, CADÊ AS FOTOS QUE VC ME FALOU QUE IA COLOCAR!! SEU CRETINO KKKKK
    JÁ VOLTO AQUI, BABY! SÓ VOU LAVAR PRATO E LEIO :D

    ResponderExcluir
  8. Adorei o post. Adoro fazer essas pesquisas para descobrir um pouco mais sobre o assunto que vou falar no blog. Adoro tudo relacionado aos contos de fada, principalmente esses remakes que estão fazendo, modificando e modernizando um pouco as histórias originais. Estou apaixonada pelo seriado Once Upon a Time que segue essa linha. Beijos, Mi

    www.recantodami.com

    ResponderExcluir
  9. Oi,passando apenas para dizer que tem novidades em meu blog ;D
    desculpa copicola!

    Bjinhos > chadecalmila.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Ficou ótimo a post. Quem não sabia dessas coisas deve ter ficado com vontade de sair pesquisando sobre as adaptações por aí hehehe

    Bjux

    ResponderExcluir
  11. Oi Lucas!

    Muito bom esse post. Como você, também cresci lendo contos de fada. Primeiro minha mãe lia, depois eu comecei a ler. Algumas histórias eu conhecia, outras que mencionou não. Uma das minhas preferidas quando criança era Branca de Neve e o Peter Pan.

    Beijos

    http://poesiasprosasealgomais.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Adorei!!!
    A historia da Branca de neve eu já conhecia, e tenho aqui em casa um livro que conta exatamente assim como você contou. Já a pobre da Ariel virou o "Bob esponja" kkkkkkkkk tadinha.

    Recomendo o filme João e Maria, é muito legal ver a historia ser contada apos eles terem crescido.

    Blog Prefacio

    ResponderExcluir
  13. Lucas, adorei esse post! A forma como você intercalou a origem com as novas adaptações dos contos de fadas deixou-o muito agradável de se ler. Parabéns! No início do meu blog fiz um post focando nas novas adaptações. Não ficou tão bom, mas ficaria feliz se você conferisse. :)

    Abraço!
    http://constantesevariaveis.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Adorei o post, está realmente incrível. Contos de Fadas são demais e sou apaixonado por eles. E, apenas fazendo um adendo sobre o filme Snow White & The Huntsman, não tem nenhuma ironia, a Snow não é a mais bela do reino e sim a com o coração mais puro. Kristen é minha vida, mas reconheço que ela não é mais bonita que Charlize. Assim como em Once Upon A Time a Snow não é mais bonita que a Evil Queen e a rixa entre as duas acontece por uma questão de vingança.

    http://compulsivebookaholic.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Suas horas de pesquisam resultaram em um texto incrível, confesso que as histórias originais me assustaram, e fico feliz de não ter ouvido algo semelhante na minha infância.É interessante ver as histórias como elas são, e realmente estão surgindo tantas adaptações novas que as vezes as histórias se confundem. Eu gosto de ver Once Upon a Time por lembrar a minha infância, também é uma adaptação e o que acho curioso na série é que a Branca de Neve não é uma molenga nem tem sete anões ao seu lado e Chapeuzinho Vermelho é na verdade o lobo, além de outros personagens adaptados. Sou apaixonada por contos e sempre que tenho oportunidade de ver algo que tenha ligação com um vejo (quer dizer, se ele não tiver nada muito maléfico como a Bela Adormecida sendo violentada, isso é algo que eu não gostaria de ler).

    Abraços, Raquel.
    Viajando com Livros.

    ResponderExcluir
  16. Aprecio bastante o seu blog e os seus posts. Sempre que posso tenho visitado o mesmo e delicio-me com o que escreve. Até coloquei na barra de favoritos :)

    Espero que continue com o bom trabalho.

    Cumprimentos

    Margarida Fonseca Dias

    www.brandleaderemaildatabases.com

    ResponderExcluir
  17. Demorei um pouco pra voltar, admito, mas voltei!! Aahuahaua
    Que postagem bacana! Fiquei surpreso com muitas das coisas que você falou e afirmo que os contos de fada também fizeram parte da minha vida.
    Adorava ouvir histórias na escola.
    Acho a Disney fofa, o que mata é o fato de cantarem a todo momento sem medo de ser feliz. ashauha
    Beijo

    ResponderExcluir
  18. Um rapaz lindo que sai beijando cadáveres por aí, adoro essa história da Branca de Neve.

    Bem legal esse post do Descobrindo Livros, super trabalho jornalístico (ai, o que nós blogueiros fazemos pelos nossos leitores, não é?).

    Há muito tempo atrás eu costumava comprar uma revista sobre literatura, chamada Discutindo Literatura, e numa delas a reportagem da capa era sobre contos infantis e suas alterações no decorrer do tempo. Descobri coisas interessantes sobre Chapeuzinho Vermelho e companhia, se pudesse scannear e mandar só pra você ler, faria isso.

    Um abraço.
    http://oepitafio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  19. Que legal o post! É tão interessante ver o trajeto percorrido pelos contos até o clichê dos felizes para sempre.

    ResponderExcluir
  20. Oi! Muito interessante o post! Nossa, eu amo esse blog haha

    Eu já conhecia os contos originais, sou curiosa e os pesquisei a um tempo atrás. Acho que o pior de todos é o da Bela Adormecida, quando li fiquei tipo :O

    E as novas adaptações, bom, eu adoro!

    Beijokas
    escolhasliterarias.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  21. Lucas parabéns! Cara ficou muito bom o post, dá pra notar nitidamente que você teve que pesquisar bem antes de fazê-lo. Confesso que não sou um grande entusiasta de contos de fadas e elas não fizeram parte da minha infância, mas quando foram levadas ao cinema pela Disney me interessaram mais. Gosto muito de todas as animações, mas não achei muito boas as adaptações que estão fazendo hoje em dia. A garota da capa vermelha por exemplo (chapeuzinho vermelho) pra mim ficou mais parecendo 'a piriguete do bosque', rsrs. Sem contar que pra mim estão destruindo as ilusões de crianças que acreditam na inocência destas histórias dando a elas este teor sensual e meio erótico. Mais uma vez seu post ficou excelente. Abraços!

    www.cabanadoslivros.com.br

    ResponderExcluir
  22. Olá! Primeiramente, adorei o post! Muito bacana, mesmo!
    Os contos de fada também fizeram parte da minha infância, e, provavelmente, ainda farão parte da infância de muita gente. (Apesar de todas essas adaptações e alterações)
    Parabéns pelo post! Muito bom mesmo!
    beijos!

    http://osnarnianos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  23. Oi Lucas. Nossa, estou maravilhado e embasbacado com esse seu post. Você acabou com meus contos de fada. rsrs. Adorei conhecer a verdade por trás dessas histórias e me senti lendo uma matéria de uma revista de renome, seu texto está fantástico e sua pesquisa foi muito bem feita. Adoro a criatividade encontradas nas novas versões dos clássico, mas vamos combinar que o macabro e bizarro é bem mais divertido. Abraço!
    De Frente com os Livros

    ResponderExcluir
  24. Caraca, não imaginava que corriam tantas histórias assim no mundo das fadas e não acreditava que havia tido tanta mudança. Sabia que já tinham sofrido alterações para as crianças, por causa dos irmãos Green, mas não imaginava que era tanta. Me apaixonei demais por esse post e ele é muito interessante, gostei mesmo bastante! Mas acho que está na hora de pararem com essas alterações não? Porque creio que uma hora as historias perderam totalmente a graça, mas enfim, quem sou eu pra protestar contra isso...
    Beijinhos, Marca Provisória. (http://marcaprovisoria.blogspot.com.br/)

    ResponderExcluir
  25. Nossa muito legal essa sua pesquisa hein ... não sabia dessas história tinham a versão triste!

    Muito bom seu texto se não é jornalista já pode virar um texto nota 10 rsr

    Beijos

    http://livrosechocolatequente.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  26. Hahah, parece minha pesquisa pro TCC.
    Nossa, você foi fundo mesmo.
    Eu gostei, sabe? Acho muito importante esse negócio de vc pesquisar para saber o que está falando. Parabéns.

    Beijos :)
    http://clicandolivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  27. Oi Lucas!
    Ficou impressionante o seu post, maravilhoso, incrível!
    Eu já conhecia as versões originais dos contos dos Irmãos Grimm e, quando li pela primeira vez, fiquei O_O Porque até então eu só conhecia as versões da Disney, então imagina!
    Particularmente, gosto dessas novas roupagens que Hollywood tem colocado nos contos. É bom para reviver a história, levar ela a mais pessoas. Eu acho super legal. :)

    Um beijo,
    Luara - Estante Vertical

    ResponderExcluir
  28. Eu já li um livro com os contos de fadas sem adaptações, em sua formas originais e acabei ficando decepcionada com algumas histórias, me senti um pouco enganada kkkkk
    Adorei seu texto. vc escreve maravilhosamente bem!!!!

    Beijoo!
    http://inspiracaoentrelinhas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  29. Nossa... essa da Bela Adormecida me chocou! Que horror! Depois de ler a sua postagem eu comecei a pesquisar mais outros contos das princesas...

    Beijokas Luh! ^^
    Blog da Mylloka

    ResponderExcluir
  30. Olá, ainda não tive oportunidade
    de ver esta adaptação nos cinemas.
    Adorei seu texto, se referindo a
    outros,
    bjs

    http://www.loveebookss.com.br/

    ResponderExcluir
  31. Cara, que post genial! Bem legal mesmo essa releitura dos clássicos da Disney (que são outra releitura das fábulas dos Grimm, aliás hahaha).
    Curti a proposta de Cinder. Já tinha ouvido falar, mas não sabia que tinha uma continuação. Bacana!

    abração
    Pedro Almada
    http://inspirados-oandarilhodotempo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Olá :D
Espaço reservado para comentários.
Ofensas serão excluídas.
Tem um blog? Deixe o link no final do comentário.
Obrigado!