Sem Roteiro: Ler em inglês


O mais comum em postagens nos blogs literários sobre leitura de livros em língua estrangeira se refere à dicas para quem quer começar nessa "praia". Para quem viu o título e achou que darei dicas, errou. No Sem Roteiro de hoje darei minha opinião sobre até que ponto é aconselhável ler em inglês.


Ninguém nasce sabendo falar, claro. Isso se dá através da audição e de situações em que adultos dialogam e a criança começa a entender as palavras. A partir daí começa a  repetição e chega um momento que não será preciso esforço nenhum para se lembrar de determinada palavra ou expressão. No inglês também, tudo gira em torno do listening, que é ouvir. 

Aquisição x Aprender

Aquisição é algo totalmente natural: você ouviu, aprendeu e pronto, adquiriu um pouco da língua. Aprender já é um processo mais lento, no qual estudamos as regras e pormenores do idioma. Os dois são necessários, mas o que conta mais, para quem não fala inglês, é aquisição. 

Aprender as regras gramaticais de português são imprescindíveis, uma vez que através delas aprendemos a grafar palavras corretamente e falá-las. Mas para aprendermos a falar precisamos ouvir e isso acontece com as gírias, por exemplo. Quantas vezes algum amigo falou algo que você não sabia e quando descobriu passou a falar involuntariamente? Olha a aquisição ocorrendo aí. 

O Listening

Ouvir é sempre a melhor opção. Na internet existe diversos sites para aprender inglês ouvindo podcasts e lendo os diálogos/textos que os acompanham. Os níveis vão do básico até o avançado, e as situações são sempre cotidianas, com expressões que se aplicam à vida de uma pessoa, como: trabalho, escola e outros.





Aprender gramática não importa?

Importa, e como. Para saber, por exemplo, que todas palavras que tem a sílaba inicial ME são precedidas sempre de X, exceto mecha, precisei aprender gramática. Isso funcionou apenas no português, no inglês é diferente. Insistir na gramática acaba por lesar o processo de aprendizado e não torna a pessoa falante da língua. 

Cursos de Inglês

Quantos de vocês conhecem alguém que já fizeram um curso de inglês e não são fluentes? Conheço várias. Minha cunhada, por exemplo, fez cinco anos na Wizard e hoje não se lembra de nada. Pela experiência que vi outras pessoas tendo, o que as escolas oferecem é mais conteúdo teórico do que prático. Lembram-se da aquisição? Então, falta isso. Por isso é importante ouvir muito e achar material adequado para você na web. 



Mas e se eu quiser ler livros em inglês?

Claro que pode, mas isso não é garantia que você aprenderá ou treinará o idioma. Se você for iniciante ou intermediário o progresso e aquisição pode ser bem pouco, digo isso porque já me aventurei numa leitura e a vantagem foi somente ter lido antes da maioria o final da série. Cada caso é um caso? Sim, com certeza, mas vejam o próximo tópico.

Palavra de um americano

Se alguém disser "She rocked her shit" ou "She got skills"  é bem capaz que uma pessoa que pouco fala inglês não entenda. As expressões significam, respectivamente, "ela mostrou seu talento muito bem", "ela é muito talentosa e confiante". Como eu aprendi isso? Ano passado numa coincidência conheci um homem que mora em NY, com uma amiga aqui em São Paulo. Ele pediu a conta no Facebook de cada um e assim começamos a conversar. O primeiro conselho que ele me deu foi: ler livros em inglês não ensina ninguém a falar, já que as situações das histórias não são encontradas, em sua maioria, no cotidiano de uma pessoa. Hoje nós conversamos muito sobre amenidades, assuntos diversos e frequentemente ele me dá dicas de como falar isso ou aquilo. 

Consideração final

Pra mim é muito mais fácil ouvir para aprender do que ler. Livros são ótimos, mas eles podem trazer tantas expressões novas que não estamos habituados que acabam por lesar um pouco o aprendizado. A maioria do que sei sobre a língua inglesa aprendi de forma natural, com aquisição. Ouço podcasts, assisto filmes sempre legendados e procuro material na internet para aprender sem pressionar a mim mesmo.

Se você quer mesmo ler um livro em inglês e não tem o hábito, procure um que você já leu,  pois será muito mais fácil. O Book Depository é um site que vende exemplares em inglês e entrega para o mundo todo com frete grátis. O preço é bem acessível e só é necessário um cartão internacional.



Ps1: Não se esqueçam do português, ele também é tão importante quanto o inglês. 
Ps2: Pesquisei em vários sites de inglês antes de escrever a postagem =)

20 comentários:

  1. Não sei muito bem se concordo ou não. Eu aprendi inglês de ouvido, já me considero fluente e acredito que a leitura em inglês talvez não ensine alguém a falar, mas discordo totalmente do que você falou sobre lesar o aprendizado. O meu vocabulário aumentou horrores e acho que é isso que ler em inglês ajuda, mas prejudicar, acho isso muito difícil de acontecer. Apesar disso, achei o post bem interessante.

    http://compulsivebookaholic.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É como eu disse, cada caso é um caso. Eu acho que não dá pra ler livros em inglês e aprender, isso é muito difícil. Existem materiais mais fáceis na internet. O livro serve pra entreter, e quiçá ajudar um pouco numa palavra nova ou expressão ;)

      Excluir
  2. Uau Lucas, como você escreve bem! Excelente post e ponto de vista. Bem, no meu caso, fiz Yázigi por anos e assim como a sua cunhada fiquei extremamente destreinada por não praticar a língua e esqueci tudo. Mas alguns anos atrás eu me forcei a vivenciar o inglês novamente, me comunicando por escrito com pessoas de fora, ouvindo filmes e músicas e isso me ajudou tremendamente. Recentemente fiz uma avaliação de nivelamento num curso e fiquei no nível 1 do avançado, que possui 3 níveis e me dei por satisfeita. Não falo super bem, mas me viro e não morro de fome. O que me falta é vocabulário, mas isso se aprende no dia-a-dia, na vivência, principalmente no que diz respeito as gírias e força de expressão que é só deles, que nenhum dicionário vai nos ensinar. Pela primeira vez na vida resolvi ler um livro em inglês, This Girl, da Colleen Hoover e estou gostando muito da experiência. Aprendi várias palavras novas e fiquei feliz com a facilidade que tive de compreender o texto. Mas é claro, este texto é fácil. Ainda não tenho condições de ler um texto mais complexo. A única coisa que me desagradou foi a lerdeza com a qual leio o livro, 1/10 da velocidade que leio um livro em português. Acho difícil me concentrar e raciocinar em inglês, mas isso é uma questão de prática. E no meu caso, sim, quero ler em inglês para ler o livro o quanto antes porque sou ansiosa e não quero esperar anos para lê-lo quando chegar no Brasil.. hehe Então essa é uma ótima solução. Beijos, Mi

    www.recantodami.com

    ResponderExcluir
  3. Concordo em alguns pontos, ótimo texto!
    Uma pessoa que quer treinar o inglês, mas só lendo livros no idioma, pode não se tornar fluente na língua mais rápido, porque na minha opinião, ela só vai treinar a dedução de palavras estrangeiras, mas na hora de pronunciar ou montar uma frase, ela pode se enrolar.
    Só acho que quem já tem um conhecimento básico do inglês, que pratica, não tem o problema em ler livros em inglês.

    Abraços, Joshua Guimarães
    Blog Pensamentos do Joshua - pensamentosdojoshua.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Oi Lucas,
    Eu adorei o post, sério!
    E apesar de você ter falado que não seria um post de dicas, quem bem souber aproveitará muitas dicas dele.
    Em relação à leitura de livros em inglês, eu acho que ela por si só não faz milagres, mas acho que pode mais ajudar do que atrapalhar. Eu não sou avançado em inglês, mas minhas experiências lendo em inglês não foram tão frustantes e serviram para que eu me familiarizasse com algumas palavras e que eu aprendesse outras novas. Tem toda essa questão das gírias e tudo mais, mas ainda assim, acho que uma coisa complementa a outra.
    Eu também nunca fiz curso e o que eu sei de inglês aprendi por conta própria e sem cobranças, como você falou.
    Bom, mais uma vez parabéns pelo texto, acho que foi o melhor "Sem Roteiro" que eu li até agora.
    Beijos
    Ademar Júnior
    Cooltural

    ResponderExcluir
  5. Lucas, parabéns por escrever tão bem e por essa postagem ótima!!
    Conheço muitas pessoas que fizeram curso junto comigo e, hoje, não lembram metade do que aprenderam.

    Apesar de você ter dito que não é uma dica, acredito que muita coisa pode ser aprendida e desenvolvida com o que você escreveu.

    Eu sempre compro livros em inglês para ajudar na minha gramática. Contudo, o que me ajuda muito mais são as conversas via skype com as amizades que eu fiz quando passei um tempo em Manhattan, na casa da minha tia. Sem falar no marido dela, que só fala inglês.

    Enfim... se deixar, eu escrevo um livro aqui. Hahahaha...

    Mais uma vez, parabéns pelo texto maravilhoso!!

    Beijos
    http://cafecomlivroo.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Oi Lucas!

    Fantástica a postagem e concordo contigo em muitos pontos. Acho que somente ler livros em inglês não torna ninguém fluente na língua. Ajuda sim com o vocabulário, mas somente a prática e ouvir o idioma irá funcionar, principalmente na pronúncia. Filmes e música ajuda muito mesmo. Eu não tenho fluência no idioma e ainda não me arrisco a ler um livro, mas no futuro espero chegar lá.

    Beijos

    http://poesiasprosasealgomais.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Eu nunca consegui aprender nada em nenhum curso de inglês que tentei fazer e sempre abandonei. Nunca entendi também o motivo de focarem tanto na gramática logo de cara. Afinal, a nossa língua nós não aprendemos primeiro a escrever. Aprendi a falar com um ano e meio (demorei um pouquinho, verdade) mas só fui aprender a escrever aos seis. Claro que ali estava aprendendo outras coisas também, porém ainda assim, antes de aprender a escrever eu primeiro tive que entender o básico de falar e a partir daí evoluir os dois juntos. Com uma outra língua, que talvez seja até mais difícil aprendermos por já termos uma em nossa cabeça, deveria ser o mesmo.

    Eu tenho um inglês acho que intermediário. Entendo bem o que falam, e falar falo mais ou menos graças a minha língua presa. Para ler, faço razoavelmente bem e escrever já é mais tenso, sempre esqueço alguma coisa. Hoje em dia, após ter aprendido através de tantos filmes, jogos e séries o inglês prático, talvez um curso de inglês me ajudasse a aprender a teoria, ainda assim não tenho paciência e acredito que é algo que podemos aprender sozinhos.

    Quanto a livros, muitos tenho curiosidade de ler no original, especialmente aqueles que sabemos que foram feitas uma traduções bem escrotas. Ainda assim não confio tanto em mim para fazê-lo, porém se amanhã tiver de viajar pros USA acho que conseguiria me comunicar bem, e no fim, é o mais importante não é mesmo? (nesse caso de uma segunda língua, é claro)

    Putz, falei pakas aqui. Me empolguei. Adorei a postagem, o Sem Roteiro sem dúvida é uma das melhores coisas do blog, parabéns ^^

    Té mais...
    http://bmelo42.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Adorei o post, Lucas! Muito esclarecedor. Não sou fluente em inglês, então não me arrisco com livros no idioma mas já li algumas revistas. E com cordo, é melhor aprender de ouvido.

    Abraço!
    http://constantesevariaveis.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Muito show o post! Você sempre me surpreende com esses temas criativos! Haha. Eu não tenho problemas em ler em inglês, embora não seja um hábito. Fiz oito anos de cursinho, e realmente eles não "valorizam" a prática, mas tenho tios nos EUA e falo com eles somente em inglês, ajudou muito no meu aprendizado e em nao esquecer as coisas.

    Beijos
    escolhasliterarias.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Comecei a ler um livro em inglês, mas nem acabei por falta de tempo que tudo isso me exigia. Mas eu adoro inglês, e a maior parte de tudo que eu sei foi através da musica. Sempre estou traduzindo minha musicas favoritas. Também só assisto filmes e séries legendadas o que ajuda um pouco também. Fiz um curso, mas a maioria das coisas ensinadas eu já sabia, então não fez tanta diferença. rsrs

    Adorei seu post, Lucas!

    Beijos!
    http://viajantesdaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Oi Lucas! A pessoa aprende muito mais ouvindo, eu para praticar gosto de assistir série sem a legenda, ajuda muito e a cada dia você fica com o ouvido melhor, dá para aprender expressões, pronúncia e depois para ler fica muito mais fácil, parece que o idioma ganha vida. Gostei do post, sem aquelas dicas de qual melhor livro para ler.

    Bjos!!
    Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  12. Oi Lucas!
    Acho que é imprescindível a pessoa saber algo de inglês antes de pegar um livro na língua. Não adianta que você não vai aprender TUDO só lendo um livro, não é verdade? Mas nada que um pouquinho de esforço não ajude.
    As dicas que você deu foram ótimas! Principalmente a dos podcasts que ajudam e MUITO.
    Se a pessoa quiser ler em inglês sem saber nada (ou só com o básico do básico), ela pode ate entender algo, mas não vai tirar total proveito. É só o que eu acho, né? hahaha

    Um beijo,
    Luara - Estante Vertical

    ResponderExcluir
  13. Acho que pra aprender a língua, é realmente mais difícil lendo. Até porque a nossa língua nativa aprendemos ouvindo. Depois de já ter um certo conhecimento, aí sim, a leitura acrescentará vocabulário e coisas do tipo. Partir do zero pode fazer quem desconhece a língua não aproveitar de fato a leitura.

    Beijos, Entre Aspas

    ResponderExcluir
  14. Eu não fujo, só não sei ingles e nem tenho vontade de aprender rs

    ResponderExcluir
  15. Oi Lucas, cada vez mais sus posts sem roteiro trazem temáticas interessantes. Estive pensando muito nessa questão do inglês atualmente. Concordo com você que aprendemos muito pela aquisição, seja ela escrita ou oral, porém ouvir com certeza é mais prático e mais efetivo, uma vez que as pessoas entendem o significado por osmose e só repetem a sonoridade. Já percebeu que tem gente que 'saca' do inglês falado, mas quando chega na hora de escrever gramaticalmente se dá mal? Pois é, eu tenho muita vontade de ler as histórias em suas línguas nativas e pretendo o fazer, mas a princípio - por não ter total segurança no idioma - o farei com aqueles livro que já li. Novamente lhe digo que o post foi super válido. Um abraço!

    De Frente com os Livros

    ResponderExcluir
  16. Olá Lucas!
    Adorei o post, bem esclarecedor! Estou fazendo curso de inglês e concordo o Listening é bem importante e bem mais fácil, suas dicas estão ótima!
    tenho muita vontade de começar a ler livros em inglês, já tentei me aventurar, mas não fui muito longe!
    Se der me passa alguns sites que você conhece com diálogos e textos, fiquei interessada!! Parabéns pelo post!!

    Beijos,
    lovesbooksandcupcakes.blogspot.com

    ResponderExcluir
  17. Formei em 2007 pelo CCAA e dou aulas de inglês há 3 anos. Trabalhei no CCAA por um tempo e depois mudei, indo pro Yázigi. Vários alunos me perguntam sobre este assunto. Cada caso, como você disse, é um caso. Nunca aconselho a leitura de um livro se a pessoa apenas começou o curso, mas por dar aulas, consigo ver o nível de cada aluno e sei quando posso indicar algo.
    Uma coisa que eu não entendo é o que alguns blogueiros falam sobre níveis de leitura. Se uma pessoa não aprendeu o suficiente para ler um livro difícil, ela não vai saber ler algo fácil. No máximo um livro infantil com poucas frases (ou apenas uma) e várias ilustrações, podendo usar os desenhos para entender melhor o contexto do livro.
    Comecei a ler antes de formar e a única coisa que tenho adquirido de lá pra cá são as expressões, as gírias e os lindos, porém chatos, phrasal verbs.
    Leio, aprendo e indico, mas... cada caso é um caso. :)
    Ótimo post.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  18. Eu não gostava de inglês, então recorri ao francês. Durante o aprendizado eu tinha uma imensa dificuldade para pronunciar as palavras (e até hoje tenho essa mesma dificuldade), mas acabei por aprender mais do que era ensinado em sala de aula pela leitura (quadrinho, livros infantis)e música. Ultimamente eu estou buscando aprender inglês, porem acabo ficando perdida com o idioma, haha.

    http://livrosecores.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  19. É um aprendizado eterno. Mas tem que ser útil pra você. Tem que ler, ouvir, se comunicar em inglês sempre. Daí se torna algo natural na tua vida. É difícil porque você tem que equilibrar. Eu moro no Brasil, mas pra me dar bem em inglês tenho que transformá-lo em algo tão natural pra mim quanto meu idioma nativo. Pra que isso aconteça, só lendo, ouvindo música e assistindo a filmes em inglês. Tudo em inglês, sempre, todos os dias, de preferências.
    Mas ler em inglês não é fácil. Não é mesmo. Ler, pela primeira vez, um livro escrito totalmente em inglês talvez seja uma das experiências mais difíceis na vida de uma pessoa. Verdade, talvez você nem tire tanto proveito disso. Mas foi a primeira vez. Na segunda, também não será fácil, assim como na terceira ou na quarta vez. Você ainda vai ter que ler 2, 3 vezes cada parágrafo. Talvez lá pelo décimo você não precise mais tanto do seu dicionário, mas sempre há exceções.
    Aliás, se eu já uso meu dicionário quando leio livros em português, imagine quando leio um em inglês! haha É um mundo novo. É um aprendizado eterno.
    Não é fácil, nada vem em fácil. É necessário esforço.

    ResponderExcluir

Olá :D
Espaço reservado para comentários.
Ofensas serão excluídas.
Tem um blog? Deixe o link no final do comentário.
Obrigado!